casas-inteligentes-houseasy

Por que as casas inteligentes são o futuro do mercado imobiliário?

As casas inteligentes são o próximo passo para quem busca personalização ao comprar ou reformar um imóvel. Mesmo ainda muito atrelada ao conceito de luxo e conforto, o mercado de automação residencial vem ganhando cada vez mais espaço entre aqueles que desejam tornar a rotina em casa mais prática e usar de forma mais racional os recursos existentes nela.

De acordo com dados divulgados pela Associação Brasileira de Automação Residencial (Aureside), este é um mercado em constante crescimento. Só para se ter uma ideia, entre 2014 e 2020 houve uma ampliação de 11,35% neste segmento e, só no Brasil, já são contabilizados mais de 300 mil lares com algum tipo de tecnologia de automação.

LEIA MAIS:

>> O QUE É AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL?
>> CONSTRUTORAS TÊM INVESTIDO EM AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL PARA OFERECER INOVAÇÃO EM SEUS PROJETOS

Mas afinal, o que é uma casa inteligente?

Uma casa inteligente é aquela que reúne inúmeros dispositivos conectados à internet. Estes podem ser desde geladeiras e TVs até sistemas inteligentes de iluminação e climatização. Assim, diversos aparelhos podem dialogar entre si, trazendo muito mais praticidade e segurança aos moradores.

Este conceito se tornou tendência no mercado imobiliário e tem ajudado a desmistificar a ideia de que a automação residencial é algo supérfluo. “Nós entendemos que este conceito de integração possibilita que as pessoas usufruam dos ambientes da sua casa de maneira mais inteligente”, pontua Willian Power Homem, CEO da Houseasy.

Como funciona uma casa com automação

Basicamente, uma casa automatizada permite que diversos ambientes sejam controlados por um único aparelho. Dessa forma, todos os comandos funcionais de uma casa podem ser agregados em um celular ou tablet, por exemplo, ou ainda funcionar por comando de voz quando associado a uma assistente virtual, como a Alexa.

E essa procura tem aumentado, segundo os especialistas, porque as pessoas estão descobrindo a utilidade além da comodidade. “O que a Houseasy oferece hoje, por exemplo, vai além disso. Para nós representa uma rotina inteligente, mais segurança, inteligência e economia de energia”, explica Homem.

Para ele, todos esses aspectos fazem com que a empresa consiga entregar aos clientes além do que eles esperam.

Quem é o público das casas inteligentes?

Os estudos de mercado apontam que o perfil do consumidor que procura transformar sua residência em uma casa inteligente são pessoas de classe média, por volta dos 50 anos.

Os mais jovens, por exemplo, geralmente são aqueles que buscam uma automação mais simplificada, envolvendo, normalmente, apenas a automação de luz e som. “Aqui na Houseasy, nosso público atende a este segmento mais jovem, entre 18 e 45 anos, que são mais adeptas às tecnologias e que entendem essa movimentação do mercado em direção às soluções de automação”, reitera Homem.

A ideia é que essa tendência atinja cada vez mais pessoas, de modo que as gerações futuras já tenham esse entendimento sobre a automação e seus benefícios. Para a Houseasy, a sociedade está vivendo o início da construção de valor da automação, que no futuro será essencial na vida das pessoas.

Quais são as tendências de mercado para os próximos 10 anos?

Com exceção do mercado residencial de luxo, que já apresenta níveis mais avançados de personalização residencial, a maioria dos consumidores começou agora a “construir” sua casa inteligente.

Segundo a Aureside (Associação Brasileira de Automação Residencial), esse movimento está ocorrendo por meio da compra de dispositivos únicos, como o Kit 4 cômodos da Houseasy, que permite a criação de uma experiência que agregue valor em torno das proposições básicas de proteção e segurança.

A perspectiva do mercado para os próximos 10 anos também é bastante otimista e os especialistas pontuam alguns vislumbres do que iremos encontrar no mercado imobiliário e de automação residencial. Olha só:

  • O mundo do consumidor será pautado e impulsionado por serviços com conectividade, Wi-Fi e serviços móveis como a base de um estilo de vida conectado.
  • Haverá a eliminação potencial de alguns dispositivos inteligentes usados de forma individualizada, visto que a interface do usuário utilizará sensores incorporados e será impulsionada por diferentes opções de controle e monitoramento, como aplicativos e/ou comandos de voz.
  • A casa e a saúde tendem a se unir, de modo que os consumidores consigam permanecer em seus lares à medida que envelhecem de forma segura e autônoma. Isso será possível através de novos produtos, serviços e soluções de monitoramento construídas a partir de uma variedade de desenvolvimentos tecnológicos existentes ou que ainda não conhecemos.

As pesquisas ainda apontam que o mercado residencial de luxo permanecerá forte e terá suas ações voltadas em torno da instalação profissional, com serviços personalizados que incluem toda a casa por meio de sistemas de controle mais complexos.

Os mercados de condomínios residenciais também estão no radar, especialmente em unidades habitacionais de luxo, que incluirão dispositivos inteligentes e rede à prova de furtos, além de serviços de banda larga.

O que mudou com a pandemia?

A sociedade passou por mudanças drásticas com a pandemia e o comportamento do consumidor foi alterado, gerando outras necessidades e anseios. Um dos exemplos mais claros é a preocupação com a saúde e segurança nos ambientes domésticos.

Outro ponto que se tornou pauta nos últimos anos foi a questão da vulnerabilidade dos membros mais velhos da nossa comunidade. A boa notícia é que a tecnologia também avançou neste quesito e já é possível investir em sistemas de automação residenciais que ajudem a mantê-los independentes e seguros à medida que envelhecem.

Por fim, a conta de energia também ficou mais cara com a pandemia, principalmente porque as pessoas começaram a passar mais tempo em casa. Este aumento também proporcionou maior consciência a respeito das alternativas e soluções para gerenciar os gastos com energia nas residências.

E é devido a este conjunto de fatores que as casas inteligentes ganharam força, pois elas são capazes de acompanhar a evolução das necessidades destes novos consumidores.

As possibilidades da automação residencial

A adoção de dispositivos domésticos inteligentes tem crescido consideravelmente, tanto em residentes de condomínios multifamiliares quanto em unidades unifamiliares. Conforme aponta estudo feito pela Auresi, o uso desse tipo de tecnologia dobrou nos últimos 2 anos, chegando a 41% no 4º trimestre de 2020.

Seguindo essa evolução, a Houseasy lançou uma nova opção para quem deseja ter mais conforto e comodidade em vários cômodos da casa. O Kit Easy – 4 cômodos e o Kit Easy – 8 cômodos  que permitem automatizar toda a casa e controlar tudo pelo celular, de forma simples e prática.

A instalação é simples e em pouco tempo é possível controlar diversos cômodos da casa de forma integrada. Em nosso canal do Youtube temos várias informações e tutoriais que te ajudam a fazer todo esse processo, como este vídeo que te ensina como instalar seus dispositivos Easy Power:

Outra boa notícia é que os dispositivos de automação residencial da Houseasy também são compatíveis com as assistentes virtuais Amazon Alexa e Google Assistente.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Leia Também

Veja também